sexta-feira, novembro 25, 2016

Reserva Naval - Da Ponte ao Convés (1)


(Post reformulado a partir de outro já publicado em 11 de Fevereiro de 2009)


Viagem de Instrução do 8.º CEORN, Abril 1966





“... o marinheiro do leme gritava, fora, fora, fora!!!”


Quando da viagem de instrução do 8º CEORN - Curso Especial de Oficiais da Reserva Naval, a bordo da Fragata «Corte Real», tive a oportunidade de fazer não só os meus quartos, mas também colaborar nos quartos de outros camaradas que se encontravam em condições físicas menos boas, face aos estragos causados pela ondulação.

Dado que o Regulamento de Disciplina Militar (RDM) não impedia que, paralelamente ao cumprimento das tarefas que nos estavam cometidas no quarto à Ponte, se participasse em momentos de boa disposição no sentido de levantar o ânimo dos enjoados, fiz juz a esta tarefa.

Havia um nosso camarada médico que aproveitava a circunstância e aparecia com frequência na Ponte sempre que eu estava de serviço.

É bom lembrar para perceber o episódio que durante o quarto se fazia a compensação da giro com a magnética ao rumo indicado, com o marinheiro do leme gritando, fora, fora, fora!!!

Esta nota é desnecessária para aqueles que pertenceram à classe da Marinha, mas para os outros...

A partir de certa altura o dito médico deixou de aparecer na ponte como habitual mente fazia.

Questionando um dia esse camarada sobre as razões da sua ausência na Ponte, explicou-me com toda a naturalidade que, certo dia, quando acabara de subir a escada para a Ponte alguém lhe gritava fora, fora, fora... razão pela qual não havia voltado a aparecer.

Aqui fica o registo das consequências de alguma falta de conhecimentos navais.

Posso garantir-vos que a falta de conhecimento era só neste domínio naval, porque como cardiologista dizem-me que não é marinheiro, é Mestre.

Manuel Sousa Torres
2TEN RN - 8º CEORN


Fontes:
Revista da AORN nº 4 de Abr/Jun 1997


mls

Sem comentários: