domingo, agosto 27, 2017

LDM - Lanchas de Desembarque Médias, classe 300


Guiné, LDM-Lanchas de Desembarque Médias, classe 300

(Post reformulado a partir de outro já publicado em 20 de Abril de 2010)





Foram 13 as LDM - Lanchas de Desembarque Médias, da classe 300, fabricadas. Estas unidades, construídas nos Estados Unidos da América foram modernizadas nos estaleiros navais da Progresso, caso das LDM 301, 303, 304, 306 e 307, da Argibay a LDM 302 e da Eugénio & Severino a LDM 305.




Em cima, a LDM 301, a primeira da classe, a sair da Doca da Marinha, antes de ser transportada para a Guiné e, em baixo, a LDM 302 no rio Cacheu que, naquele rio, viria a ser violentamente atacada e afundada por duas vezes com baixas pessoais dramáticas



As LDM 308 a 313, igualmente construídas naquele mesmo país tinham anteriormente os números de costado 501 a 506 e corresponderam a adaptações e reconversões das LDM da Classe 500. Em Outubro de 1965 foram todas renumeradas daquela forma mantendo, respectivamente, aquela correspondente ordem.

As originais da classe 300, foram aumentadas ao efectivo dos navios da Armada em Janeiro de 1964 e, em Novembro, as reconvertidas da classe 500. Transportadas para a Guiné, ali permaneceram durante todo o tempo em que estiveram operacionais, atribuídas à Esquadrilha de Lanchas daquele Comando de Defesa Marítima.




Em cima, a LDM 305 integrada num combóio logístico no rio Cacheu com a LFP «Canopus» e, em baixo, unidades no plano inclinado do SAO, em Bissau, sendo visível a LDM 303 em manutenção e reparação



Desempenharam missões operacionais em múltiplas missões operacionais de fiscalização, escolta, embarque e transporte de fuzileiros, militares de outros ramos, população em geral, nos combóios logísticos com material, equipamentos e abastecimentos.

Representaram um papel primordial de suporte na estrutura operacional e logística da Marinha naquele teatro e nelas embarcaram inúmeros oficiais dos Quadros Permanentes e da Reserva Naval, quer integrados nos dispositivos de forças embarcadas quer comandando unidades isoladas com missões específicas.




Em cima, a LDM 310 amarrada no lago fronteiro a Farim e, em baixo, um típico combóio para Bedanda, no rio Cumbijã, com várias LDM e batelões comerciais.



As LDM da classe 300 terão sido as mais representativas na Guiné quer pelo elevado número de unidades, num total de 13, quer pelo número de anos em que se mantiveram operacionais até irem sendo progressivamente substituídas pela classe 400, a partir do ano de 1970. Começou por ser abatida a LDM 307 em Junho de 1971, sendo finalizadas as substituições com a LDM 309, abatida em Setembro de 1974.

Emboscadas e flageladas com frequência, foram quase todas elas atingidas em múltiplas ocasiões por fogo inimigo de todos o tipo de armamento, por rebentamento de minas aquáticas, caso da LDM 309, e até afundadas depois de sujeitas a violentos ataques, caso da mítica LDM 302.




Em cima, consequências de um incêndio na LDM 312 e, em baixo, o “poço” da LDM 309 atingida pelo rebentament0 de um engenho explosivo aquático (EEA) accionado a partir da margem no rio Armada, afluente do Cacheu



Comandadas por um Cabo de Manobra, o Patrão, e dispondo de uma guarnição de 6 homens que integrava um Radiotelegrafista, dois Artilheiros e dois Fogueiros desempenharam com elevada competência, coragem, esforço e dedicação das suas guarnições, as missões que lhes foram atribuídas, algumas delas com baixas graves incluindo a dramática perda de vidas.




A LDM 304, em modelo, ainda hoje simula desembarques, vdesta vez na "Lagoa Azul"

Fontes:
Setenta e Cinco Anos no Mar, Comissão Cultural da Marinha - 17.º Vol, 2006; fotos de arquivo do autor do blogue com cedência de origens diversas incluindo o Arquivo de Marinha e Revista da Armada; referências de construção retiradas de http://www.globalsecurity.org/military/systems/ship/lc.html


mls

3 comentários:

Rui Silva disse...

O meu pai foi patrao da LDM 304 entre 67 e 68...

Rui Silva disse...

O meu pai foi patrão dessa lancha entre 67 e 68.

Rui Silva disse...

O meu pai foi patrao da LDM 304 entre 67 e 68...