domingo, fevereiro 18, 2018

Reserva Naval na classe «Cacine»- Parte II


Os navios-patrulha classe «Cacine»-Parte II

(Post reformulado a partir de outro já publicado em 23 de Junho de 2010)

«Cacine», «Cunene», «Mandovi», «Rovuma» e «Quanza»








Navio-patrulha «Cacine» - P 1140


Construído no Arsenal do Alfeite, foi aumentado ao efectivo dos navios da Armada em 6 de Maio de 1969. Em 2 de Agosto, em conjunto com o «Cunene» rumou a Luanda, onde atracou no dia 25 depois de escalar o Porto Grande de S. Vicente de Cabo Verde, Bissau e S. Tomé.

Manteve-se em Angola até Agosto de 1973, tendo efectuado então várias vezes o percurso de ida e volta a S. Tomé, regressando a Luanda no princípio de Dezembro e permanecendo naquele território a totalidade do ano de 1974.

A 3 de Fevereiro de 1975, finda a comissão de serviço e na companhia do «Mandovi», regressou a Portugal, depois de escalar S. Tomé, S. Vicente, Gran Canária e Madeira, atracando na BNL no dia 25. Depois dessa data, efectuou diversas comissões SAR nos Açores e na Madeira. Mantém-se no efectivo dos navios da Armada.

Oficiais da Reserva Naval que ali desempenharam missões, até 1975, como oficiais da guarnição:

2TEN RN José Maria Palma Nobre Franco, 13.º CFORN, desde 7.5.69;
2TEN RN Carlos Augusto Mendes Alves, 17.º CFORN , desde 3.5.71;
2TEN RN João Manuel da Silveira Malheiro Távora, 22.º CFORN, desde 16.10.73*;
2TEN TE RN Vasco de Melo, 25.º CFORN, desde 21.5.75;


* Substituiu com urgência, em 16.10.73, o 2TEN RN Armando Henrique Prazeres Machado, 21.º CFORN, nomeado para desempenhar as funções de docente da cadeira de Matemática na Escola Naval - informação fornecida pelo Comandante Manuel Pinto Machado que, à data, desempenhava as funções de comandante do navio-patrulha «Cacine».






Navio-patrulha «Cunene» - P 1141

Construído no Arsenal do Alfeite, foi aumentado ao efectivo dos navios da Armada em 6 de Junho de 1969. Em 2 de Agosto, em conjunto com o navio-patrulha «Cacine» rumou a Luanda, onde atracou no dia 25 depois de escalar o Porto Grande de S. Vicente de Cabo Verde, Bissau e S. Tomé.

Apenas em Junho de 1973 voltou a S. Tomé regressando a Luanda no final de Agosto. Passou o ano de 1974 em Angola, efectuando nova comissão em S. Tomé e Princípe entre Setembro e Novembro daquele ano.

Em 25 de Fevereiro de 1975, finda a comissão de serviço e na companhia do «Rovuma», regressou a Portugal. Depois de escalar S. Tomé, S. Vicente, Gran Canária e Madeira, atracou na BNL no dia 16 de Março.

Efectuou diversas comissões SAR nos Açores e na Madeira, tendo passado ao estado de desarmamento em 31.07.2001 e foi abatido ao efectivo dos navios da Armada em 15.11.2006 (portaria 1822 de 8.11.2006).

Oficiais da Reserva Naval que ali desempenharam missões, até 1975, como oficiais da guarnição:

2TEN RN Álvaro Babiano Costa e Moura, 13.º CFORN, desde 6.9.69;
2TEN RN João Luis Gomes Durão, 14.º CFORN, desde 23.8.70 (vindo do Rovuma);
2TEN RN Rui Alberto Antunes Pais dos Santos, 17.º CFORN, desde 4.5.71;
2TEN RN José dos Remédios Dias Gonçalves, 18.º CFORN, desde 28.10.71;
2TEN RN Henrique Joaquim Gomes, 21.º CFORN, desde 16.5.73;
2TEN RN Emílio Manuel da Mata Pereira, 22.º CFORN, desde 15.10.73;





Navio-patrulha «Mandovi» - P 1142

Construído no Arsenal do Alfeite, foi aumentado ao efectivo dos navios da Armada em 2 de Setembro de 1969. Em 15 de Setembro rumou a Angola, escalando o Porto Grande de S. Vicente de Cabo Verde, Bissau e S. Tomé onde fundeou no dia 31. Em 3 de Novembro, na companhia da LFG «Centauro», partiram para Luanda onde atracaram no dia 5 de Novembro.

No final de Setembro de 1973, efectuou uma outra ida a S. Tomé, regressando a Luanda no princípio de Março do ano seguinte. A 3 de Fevereiro de 1975, finda a comissão de serviço e na companhia do navio-patrulha «Cacine», regressou ao Continente. Depois de escalar S. Tomé, S. Vicente, Gran Canária e Madeira, atracou na BNL no dia 25 do mesmo mês.

Efectuou diversas comissões SAR nos Açores e na Madeira. Passou ao estado de desarmamento em 3.1.1996 e foi abatido ao efectivo dos navios da Armada em 20.3.2002 (portaria 632/02 de 20.12.2002).

Oficiais da Reserva Naval que ali desempenharam missões, até 1975, como oficiais da guarnição:

2TEN RN Fernando Manuel da Conceição Correia, 13.º CFORN, desde 15.10.69;
2TEN RN Álvaro Jaime Neves da Silva, 17,º CFORN, desde 4.5.71;
2TEN RN Manuel Eduardo Costa e Almeida Vasques, 21.º CFORN, desde 16.5.73;





Navio-patrulha «Rovuma» - P 1143

Construído no Arsenal do Alfeite, foi aumentado ao efectivo dos navios da Armada em 14 de Novembro de 1969. Em 5 de Fevereiro de 1970 rumou a Luanda, onde atracou no dia 4 de Março depois de escalar o Porto Grande de S. Vicente de Cabo Verde, Bissau e S. Tomé.

Entre 7 e 26 de Junho de 1974 esteve em S. Tomé, onde voltou novamente a permanecer entre 28 de Junho e 12 de Setembro do mesmo ano. Em 25 de Fevereiro de 1975, na companhia do navio-patrulha «Cunene», regressou a Portugal tendo atracado em Lisboa no dia 16 de Março.

Efectuou diversas comissões SAR nos Açores e na Madeira. No dia 15 de Março de 1999 atracou na Base Naval de Lisboa pela última vez. Passou ao estado de desarmamento em 29.2.2000 e foi abatido ao efectivo dos navios da Armada em 1.8.2003.

Oficiais da Reserva Naval que ali desempenharam missões, até 1975, como oficiais da guarnição:

2TEN RN João Luis Gomes Durão, 14.º CFORN, desde 11.12.69;
2TEN RN Carlos Eduardo Couto da Cunha Dias, 18.º CFORN, desde 28.10.71;
2TEN RN António Fernando de Brito Castilho Dias, 22.º CFORN, desde 5.2.74;
2TEN TE RN Victor Manuel Oliveira Santos Ferreira, 25.º CFORN, desde 6.10.75;





Navio-patrulha «Quanza» - P 1144

Construído nos Estaleiros Navais do Mondego, foi aumentado ao efectivo dos navios da Armada em 4 de Junho de 1970. Em 1 de Setembro de 1970 largou com destino a Cabo Verde, tendo chegado a Porto Grande de S. Vicente onde permaneceu até Junho de 1973.

No dia 20 daquele mês partiu com destino a Bissau onde chegou a 27, ficando naquele território a efectuar comissão. Entre 4 de Fevereiro e 14 de Março do ano seguinte esteve ausente da Guiné, novamente em Cabo Verde, após o que regressou a Bissau. Em 14 de Outubro regressou ao Continente, escalou Cabo Verde e atracou na BNL em 2 de Novembro.

Efectuou diversas comissões SAR nos Açores e na Madeira. Mantém-se no efectivo dos navios da Armada.

Oficiais da Reserva Naval que ali desempenharam missões, até 1975, como oficiais da guarnição:

2TEN RN Carlos Alberto de Albuquerque Neves Costa, 15.º CFORN, desde 4.6.70;
2TEN RN Vitor Correia Guimarães, 18.º CFORN, desde 31.10.71;
2TEN RN António Manuel Mendonça Guerreiro, 22.º CFORN, desde 16.10.73;
2TEN RN António Carlos de Queiroz Vilela Bouça, 24.º CFORN, desde 2.12.74;
2TEN TE RN Lídio Marques Fernandes, 24.º CFORN, desde 3.9.75;
2TEN TE RN António Manuel Ribeiro Araújo, 25.º CFORN, desde 9.11.75;


(continua)

Fontes:
Texto compilado pelo autor do blogue com imagens da Revista da Armada; Setenta e Cinco Anos no Mar, Comissão Cultural da Marinha 10.º e 15.º Vols, 1999/2004; Ordem da Armada;


mls

Sem comentários: